Netflix Sofistica Conteúdo Pra Amadurecer No Brasil

27 Nov 2018 09:33
Tags

Back to list of posts

21248397-social-network-tree.jpg

<h1>Gwyneth Paltrow Esbanja Raz&otilde;es Para Ser Detestada</h1>

<p>Um jovem aborda uma mulher desconhecida pela via Paulista, uma das vias mais movimentadas de S&atilde;o Paulo. Ele pede uma dado, come&ccedil;a a falar e, minutos depois, est&atilde;o se beijando. A situa&ccedil;&atilde;o se repete dentro de shoppings, esta&ccedil;&otilde;es de metr&ocirc; e parques. Tudo &eacute; filmado &agrave; dist&acirc;ncia por uma c&acirc;mera escondida e publicado no YouTube.</p>

<p>A inten&ccedil;&atilde;o &eacute; ajudar de modelo e ensinar outros homens a &quot;ocupar&quot; mulheres. Luis Francisco Desiro dos Santos, 24, que construiu o web site Conquista Social com o colega Bruno Castro, 17, h&aacute; 5 meses. Desiro come&ccedil;ou a se interessar pelo assunto ap&oacute;s um companheiro recomendar a leitura de uma cartilha da RSD (Real Social Dynamics), que ensina t&eacute;cnicas para ser um &quot;homem pegador&quot;.</p>

<p>A RSD ficou conhecida mundialmente por vender a pol&ecirc;mica ideia de que &eacute; poss&iacute;vel reverter uma ocorr&ecirc;ncia em que mulheres dizem n&atilde;o &agrave;s investidas sexuais com m&eacute;todos capazes de &quot;ativar a prostituta que existe dentro delas&quot;. A pedido da BBC Brasil, a militante da Marcha Mundial das Mulheres Carla Vit&oacute;ria, 24, assistiu a alguns videos dos canais brasileiros. Para ela, as imagens executam por&ccedil;&atilde;o da cultura do estupro e passam a ideia de que as mulheres necessitam estar sempre dispon&iacute;veis. O criador do Vit&oacute;ria Social n&atilde;o v&ecirc; as abordagens como uma a&ccedil;&atilde;o violenta e diz que elas s&atilde;o &quot;comuns&quot; em pa&iacute;ses estrangeiros. Desiro conta que passou a praticar as t&eacute;cnicas para quebrar a barreira da timidez.</p>

<p>Meses depois, resolveu se tornar tamb&eacute;m um difusor das estrat&eacute;gias. S&oacute; em 2015, ele relata ter assediado mais de mil mulheres nas ruas brasileiras - cerca de 3 por dia. A meta dele &eacute; de que, por este ano, a m&eacute;dia ultrapasse a marca de cinco mulheres por dia. Em um dos videos do Conquista Social, o fedelho conhece uma crian&ccedil;a dentro de um shopping e tenta beij&aacute;-la v&aacute;rias vezes, sem sucesso.</p>

<p>Ap&oacute;s certa dedica&ccedil;&atilde;o e imediatamente do lado de fora do centro comercial, ele consegue o beijo. Em alguns videos, os &quot;treinadores&quot; chegam a colocar mulheres contra a parede e bolin&aacute;-las no tempo em que se beijam. Apesar de relativamente novos, um dos v&iacute;deos produzidos pela dupla imediatamente alcan&ccedil;ou mais de 250 mil visualiza&ccedil;&otilde;es.</p>

<p>Al&eacute;m da fama no YouTube, Desiro agora lucra com consultorias para explicar a arte da vit&oacute;ria. Em janeiro deste ano, o estudante Felipe Assis Vasconcelos, 21, deixou Juiz de Fora (MG) e viajou cerca de 500 km pra fazer 2 dias de curso. Ele conta que a inten&ccedil;&atilde;o foi resolver o problema, que carrega desde a adolesc&ecirc;ncia, de se classificar com pessoas e fazer amigos.</p>
<ul>

<li>17/09/2010 &agrave;s 10:Cinquenta e seis</li>

<li>Deixe as pessoas curiosas</li>

<li>oito c&oacute;digos &uacute;teis pra come&ccedil;ar a usar no WordPress 3.0</li>

<li>Metodologia escal&aacute;vel</li>

<li>Compreender quais a&ccedil;&otilde;es corretivas s&atilde;o mais seguros para acudir os alunos a entender</li>

<li>Crie um canal no YouTube e compartilhe um hiperlink pra vender sua m&uacute;sica</li>

<li>Cap&iacute;tulo 349</li>

</ul>

<p>Desiro conta que alguns alunos o procuram com frequ&ecirc;ncia e que h&aacute; reuni&otilde;es mensais para que os ex-alunos tirem perguntas. As mais recorrentes, segundo ele, s&atilde;o sobre o que discutir no decorrer da discuss&atilde;o, quando partir pro beijo e qual o momento correto para chamar uma crian&ccedil;a para sair. H&aacute; outros canais brasileiros de vit&oacute;ria, como o S&eacute;timo Amor, com filmes que registraram mais de um milh&atilde;o de visualiza&ccedil;&otilde;es.</p>

<p>Eles tamb&eacute;m oferecem aulas presenciais de vit&oacute;ria e exibem imagens de cursos lotados. Refer&ecirc;ncia para os brasileiros, algumas abordagens filmadas por russos e americanos imediatamente foram vistas mais de cinquenta milh&otilde;es de vezes. Carla Vit&oacute;ria, da Marcha Mundial das Mulheres, bem como faz considera&ccedil;&otilde;es ao &quot;emprego da mulher como material sexual para obter dinheiro&quot;. Ela reconhece que os filmes &quot;refletem a cultura em que vivemos, na qual o homem &eacute; posto no espa&ccedil;o p&uacute;blico sempre que as mulheres precisam ficar em casa&quot; se quiserem evitar abusos.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License